Vacina da covid-19 pode gerar imunidade de apenas 90 dias

Essa informação foi divulgada por um grupo de cientistas que presta consultoria para o governo do Reino Unido

Mulher recebe vacina - Pexels

Segundo especialistas, a grande maioria da população deve apresentar resposta imune à vacina para SARS-CoV-2 após 28 dias e com duração de três meses (Foto: Pexels)

As vacinas contra o novo coronavírus (SARS-CoV-2) podem garantir às pessoas uma imunidade de apenas 90 dias, afirmam assessores científicos do governo do Reino Unido.

Um artigo publicado na última sexta (4/12) pelo New and Emerging Respiratory Virus Threats Advisory Group (Grupo de Consultoria em Novas e Emergentes Ameaças por Vírus do Trato Respiratório, em tradução livre) afirma que a duração da “imunidade natural ou induzida por vacina ainda não é totalmente compreendida”.

No entanto, eles acrescentam que a resposta imune do organismo após receber uma vacina para covid-19 pode durar até 90 dias.

“Com base na variabilidade dos dados e nas respostas diferentes da população, estimamos conservadoramente que uma resposta imunológica após a infecção ou vacinação com SARS-CoV-2 pode durar 90 dias”, dizem os consultores no documento, citado pelo tabloide britânico Daily Mirror.

Essa estimativa é baseada no fato de que outros tipos de coronavírus tendem causar reinfecção após um ou dois anos.

As reinfecções sazonais por coronavírus ocorrem frequentemente em 12 meses e às vezes até seis meses, mas não no prazo de 90 dias, explicam os cientistas no artigo recém-publicado.

“Com base nessa informação, concluímos que, dentro de um mês após a infecção natural, uma alta proporção de pessoas desenvolverá imunidade contra possível reinfecção. É provável que essa proteção persista por, pelo menos, três meses. O nível de proteção contra a reinfecção subclínica [quando não há sintomas] é incerto”, esclarecem os cientistas consultores do governo britânico, citados pelo tabloide.

Como é visto no documento, 28 dias após o recebimento da vacina, grande parte das pessoas desenvolve imunidade que já protege contra a reinfecção.

Os especialistas alertam que uma pequena parcela da população pode não desenvolver resposta imune após a infecção natural ou vacinação, mas salientam que é um número considerado pequeno em comparação com a maioria que obtém imunidade.

O artigo do New and Emerging Respiratory Virus Threats Advisory Group acrescenta que os anticorpos gerados pelo SARS-CoV-2 podem ser detectados em pelo menos 90% das pessoas que foram infectadas pelo vírus.

Vale lembrar que o Reino Unido começará a vacinação de voluntários na próxima terça (8/12), depois que o país se tornou o primeiro no mundo a aprovar o uso do imunizante da empresa biofarmacêutica americana Pfizer.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.