Invasão alienígena? Curioso fenômeno aparece no céu da Rússia

Feixes de luz colorida iluminaram o céu pouco antes do amanhecer na cidade siberiana de Tyumen e deixaram muitos internautas intrigados

Pilar de luzes na Rússia

Apesar de parecer uma invasão alienígena, os pilares de luz são comuns em regiões muito frias do Hemisfério Norte (Foto: YouTube/RT en Español/Reprodução)

Um fenômeno curioso foi registrado na cidade de Tyumen, que fica na Sibéria (Rússia). De acordo com informações divulgadas na última quarta (2/12) pela agência russa de notícias Ruptly, moradores ficaram fascinados com pilares de luzes que coloriram o céu antes do amanhecer com tons de azul e laranja.

Como mostra um vídeo que capturou o fenômeno, vários feixes brilhantes verticais permaneceram visíveis no céu até o amanhecer. As pessoas aproveitaram para fotografar os curiosos feixes de luz e compartilhar nas redes sociais.

Para quem não conhece o fenômeno, ele poderia até ser confundido com uma invasão alienígena: raios são enviados sobre Tyumen pelos extraterrestres em suas naves espaciais.

Mas, como explica a Ruptly, não há pânico entre os moradores da cidade siberiana, já que esses pilares de luz não são muito incomuns nas altas latitudes do Hemisfério Norte.

O que forma o feixe de luz

Chamado de luz polar, esse fenômeno óptico é representado por uma faixa vertical brilhante que se estende de uma fonte de luz. Como explica Maria Smirnova, do planetário de São Petersburgo (Rússia), em entrevista ao site AiF.ru, as colunas de luz são observadas em baixas temperaturas.

“É um fenômeno óptico que ocorre quando cristais de gelo aparecem na atmosfera. Feixes de luz são espalhados sobre eles. Então, os ‘pilares’ são formados acima de cada fonte de luz brilhante”, diz a especialista.

De acordo com Smirnova, as colunas de luz são geradas a partir de fontes de iluminação na Terra, como lanternas, holofotes, faróis de carro e residências iluminadas. A luz que vem de baixo, da superfície terrestre, se espalha verticalmente usando os cristais suspensos no ar.

Condições para ver o fenômeno

Segundo a especialista afirma ao site russo, os cristais costumam se formar em nuvens do tipo cirrus altas e cirrostratus, localizadas a uma distância de mais de 8.000 m de altitude.

Pilares de luz como os registrados em Tyumen, na Sibéria, são mais comuns em climas muito frios, pois os cristais se formam na baixa atmosfera.

Maria Smirnova explica que para o efeito óptico ocorrer, são necessárias certas condições: temperatura muito baixa (cerca de -15º C) e umidade.

Além da Rússia, um dos lugares famosos por apresentar pilares de luz são as Cataratas do Niágara, entre o Canadá e os Estados Unidos. No inverno, os cristais de gelo que aparecem na névoa perto da queda d’água refletem a luz dos holofotes que a iluminam.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.