Saiba mais sobre a vacina da AstraZeneca e Ofxord

Imunizante produzido pelo laboratório anglo-sueco e pela universidade britânica usa um vírus enfraquecido que engana o organismo para se proteger da covid-19

Vacina - Freepik

Ao contrário das vacinas da Moderna e da Pfizer, que utilizam material genético do SARS-CoV-2, o imunizante da AstraZeneca/Ofxord é composto por uma forma enfraquecida de vírus da gripe (Foto: Pixabay)

A vacina contra a covid-19 produzida pela empresa biofarmacêutica anglo-sueca AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford, no Reino Unido, foi pioneira na corrida para encontrar um imunizante para o novo coronavírus (SARS-CoV-2).

Segundo informações das duas instituições, após testes clínicos, a vacina demonstrou ser 70,4% eficaz contra o vírus, chegando a até 90% de eficácia.

Mas como funciona o imunizante da AstraZeneca/Oxford?

Chamada de ChAdOx1 nCoV-19, a vacina usa uma versão inofensiva e enfraquecida de um vírus comum que causa resfriado em chimpanzés.

Os pesquisadores já utilizaram essa tecnologia para produzir imunizantes contra uma série de doenças, incluindo gripe, Zika e Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS).

De acordo com a Universidade de Oxford, o micro-organismo presente em sua vacina é geneticamente modificado para que seja impossível sua multiplicação em humanos.

Os cientistas usaram as informações genéticas da proteína “spike”, usada pelo coronavírus para infectar as células. Quando o imunizante entra no corpo, usa esse código para produzir a proteína do vírus, o que induz a resposta imunológica do organismo – que fica preparado para um possível ataque real do SARS-CoV-2.

É diferente da vacina da Pfizer e da Moderna?

Os imunizantes produzidos pelos laboratórios americanos Pfizer e Moderna utilizam RNA mensageiro (mRNA), que é a molécula necessária para criação do DNA.

No caso das vacinas com mRNA, é suado apenas o código genético do vírus, e não sua forma enfraquecida, como num imunizante tradicional, como do sarampo e da gripe.

Ao ser injetada no corpo, o mRNA entra nas células e as instrui a criar antígenos, que são reconhecidos pelo sistema imunológico e prepara o organismo para combater o novo coronavírus.

Nenhum vírus real é necessário para criar uma vacina de mRNA. Isso significa que ela pode ser produzida de fácil e rápida.

A vacina da AstraZeneca/Oxford pode ser dada em idosos?

Tem havido preocupação de que as vacinas para a covid-19 não funcionem tão bem em idosos, assim como a vacina anual contra a gripe causada pelo Influenza.

No entanto, dados do ensaio clínico da Universidade de Oxford sugere que tem havido respostas imunológicas “semelhantes” entre adultos jovens e idosos. O mesmo foi relatado pela Moderna com seu imunizante.

Ainda segundo a Oxford, seus dados representam um “marco importante”, já que a vacina induz fortes respostas imunológicas em todos os grupos de adultos.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.