Cidade italiana quer pagar R$ 293.000 para jovens morarem nela

Os candidatos também precisam abrir um negócio em Santo Stefano di Sessanio e permanecer na cidadezinha por pelo menos cinco anos

Santo Stefano di Sessanio - Flickr

A encantadora cidade de Santo Stefano di Sessanio, nos Montes Alpeninos, da Itália, possui apenas 115 habitantes e quer atrair jovens moradores (Foto: Flickr/Kristjan/Reprodução)

Na bucólica aldeia de Santo Stefano di Sessanio, na Itália, jovens que queiram se mudar para lá e abrir um negócio podem receber uma casa e 44.000 euros (cerca de R$ 293.000) de ajuda de custo.

Mas é preciso viver na localidade que fica em meio às montanhas por, pelo menos, cinco anos.

De acordo com a emissora americana CNN, a iniciativa foi lançada pela prefeitura para revitalizar a vila, que está situada em meio aos Montes Apeninos. Santo Stefano di Sessanio já estava nos holofotes anos atrás, quando foi construído um amplo hotel, o Sextantio, e pela recuperação de casas abandonadas para oferecer mais pontos de hospedagem na aldeia.

“Não estamos vendendo nada para ninguém, apenas queremos permitir que o país continue vivendo”, diz Fábio Santavicca, prefeito da aldeia medieval da província de L’Aquila, que fica a 1250 m acima do nível do mar, em entrevista para a emissora.

Atualmente residem 115 pessoas em Santo Stefano di Sessanio, das quais 41 têm mais de 65 anos e apenas 13 têm menos de 20. E é justamente aos candidatos de 18 a 40 anos que a oportunidade está sendo oferecida.

(Foto: Flickr/Kristjan/Reprodução)

Como é a oferta

A vila italiana, segundo a CNN, pretende dar uma bolsa mensal, por três anos, de no máximo 8.000 euros (cerca de R$ 53.000); e disponibilizar uma casa por uma renda simbólica não reembolsável de no máximo de 20.000 euros (R$ 133.000) para o empreendedor.

Além disso, os candidatos devem residir na Itália, mas não nos arredores de Santo Stefano, e serem oriundos de cidades com mais de dois mil habitantes. Ou cidadãos da União Europeia ou estrangeiros com autorização para residência de longa duração por tempo indeterminado.

O prefeito diz à emissora americana que a condição de o candidato viver em um município com, pelo menos, dois mil habitantes se explica pelo desejo de evitar o despovoamento de outras localidades que tenham problemas populacionais.

Para quem quiser se candidatar, precisa saber que a cidade mais próxima é L’Aquila, a meia hora de distância. Capital de Abruzzo, foi devastada pelo terremoto de 2009 e ainda está em reconstrução. Roma fica a cerca de duas horas de distância e a fabulosa costa do Adriático a 90 minutos de carro.

Como mostra a CNN, 1.500 pessoas já se inscreveram desde o lançamento do edital, em 15 de outubro, mas o governo municipal pretende fazer uma rígida seleção e reduzir para cerca de 10 candidatos. O limite para as inscrições é dia 15 de novembro.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments