Novo teste de covid-19 fica pronto em menos de 5 minutos

Fruto de uma pesquisa britânica, o exame inovador usa a inteligência artificial para identificar o novo coronavírus

Coronavírus - Pixabay

Teste criado pela Universidade de Oxford é capaz de identificar o SARS-CoV-2 em menos de cinco minutos (Foto: Pixabay)

Cientistas britânicos desenvolveram um teste rápido para covid-19 que detecta e identifica o novo coronavírus (SARS-CoV-2) em menos de cinco minutos.

O exame, criado por pesquisadores do departamento de Física da Universidade de Oxford, no Reino Unido, é capaz de diferenciar o SARS-CoV-2 de amostras clínicas negativas.

Ele também consegue diferenciá-lo de outros vírus, como o da gripe e os coronavírus humanos sazonais, de acordo com o estudo.

Funcionamento do teste

Trabalhando diretamente em amostras da garganta de pacientes com covid-19, sem a necessidade de extração do DNA, purificação ou amplificação do vírus, o método começa com a rápida identificação de partículas do micro-organismo.

Um microscópio é então usado para coletar imagens da amostra, contendo centenas de vírus marcados com fluorescência.

Em seguida, um programa de machine learning (aprendizado de máquina), ou inteligência artificial, identifica rápida e automaticamente o coronavírus presente na amostra.

Química do vírus

Segundo o estudo, publicado no repositório científico medRxiv nesta sexta (16/10), essa abordagem explora o fato de que tipos distintos de vírus têm diferenças em sua marcação de fluorescência devido à química da superfície, ao tamanho e à forma.

“Ao contrário de outras tecnologias que detectam uma resposta de anticorpos atrasada ou que requerem uma preparação de amostra cara, tediosa e demorada, nosso método reconhece rapidamente partículas virais intactas, o que significa que o ensaio é simples, extremamente rápido e econômico”, comenta o pesquisador Achilles Kapanidis, um dos autores do estudo, em entrevista para o site Yahoo!

Vale dizer que a pesquisa ainda não foi revisada por terceiros para ser publicada num jornal ou revista científica.

Os pesquisadores britânicos pretendem desenvolver um dispositivo capaz de realizar testes em locais de aglomeração de pessoas, como empresas, shows e aeroportos, para estabelecer e proteger contra a covid-19.

Eles esperam desenvolver o produto no início de 2021 e ter um dispositivo aprovado disponível dentro de seis meses a partir dessa data.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.