Em condições adequadas, novo coronavírus vive por 9 horas na pele

Essa informação consta de um novo estudo realizado no Japão que testou em laboratório a permanência do SARS-CoV-2 na pele humana

Lavando as mãos - Pixabay

Lavar as mãos regularmente é uma das melhores formas de evitar a transmissão do novo coronavírus (Foto: Pixabay)

Um novo estudo sugere que, em condições adequadas, o novo coronavírus (SARS-CoV-2) pode sobreviver por várias horas na pele humana.

Em experimentos de laboratório, os pesquisadores testaram a permanência do causador da covid-19 na pele de um cadáver e descobriram que o vírus sobrevive por nove horas, quatro vezes mais do que o Influenza A (H1N1), causador da gripe sazonal.

O estudo, realizado pela Universidade de Medicina da Prefeitura de Kyoto, no Japão, foi publicado no dia 3 de outubro na revista científica Clinical Infectious Diseases.

Segundo os cientistas, entender o tempo de sobrevivência do vírus na pele pode ajudar a desenvolver abordagens de prevenção da transmissão por contato e mostra a importância da lavagem das mãos.

“A estabilidade do patógeno da síndrome respiratória aguda grave coronavírus 2 [SARSCoV-2] na pele humana permanece desconhecida, considerando os riscos da exposição viral em humanos. Criamos um modelo que permite a reprodução segura de estudos clínicos sobre a aplicação de micro-organismos na pele humana e elucidamos a estabilidade do SARS-CoV-2”, afirmam os pesquisadores, citados pelo tabloide britânico Daily Mail.

Entenda a pesquisa

Os cientistas japoneses usaram pele humana obtida de amostras de autópsias realizadas 24 horas antes. Eles explicam que isso foi feito para evitar a infecção de voluntários saudáveis.

As células da pele foram misturadas com amostras do coronavírus e com o Influenza A, que também se espalha por meio de gotículas e pelo contato direto com pessoas.

Os resultados mostram que o vírus da gripe viveu por aproximadamente 1,8 hora na pele.

Por outro lado, o tempo de sobrevivência do SARS-CoV-2 na pele humana foi de cerca de nove horas, significativamente mais longo do que a cepa da gripe.

“Esses resultados indicam que o novo coronavírus possui uma estabilidade marcadamente maior na pele humana do que o Influenza A”, dizem os autores, citados pelo Daily Mail.

Quando misturado ao muco de amostras do trato respiratório superior, o causador da covid-19 viveu por cerca de 11 horas em comparação com 1,69 hora do vírus da gripe.

Ambos foram completamente inativados em 15 segundos com um desinfetante para as mãos contendo 80% de álcool.

Os cientistas japoneses lembram ainda que o estudo foi realizado em laboratório e que os vírus não são resistentes a temperaturas mais elevadas.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.