Confirmados três lagos subterrâneos em Marte

Por meio de dados da espaçonave Mars Express, que orbita o Planeta Vermelho, foi detectada a presença de água líquida numa região próxima do polo sul de nosso vizinho

Planeta Marte - Nasa

Apesar de existir água líquida no subterrâneo de Marte, ela é extremamente salgada, segundo afirmam os cientistas (Foto: Pixabay)

Um estudo publicado na última segunda (28/9) na revista científica Nature Astronomy revela a existência de três lagos subterrâneos perto do polo sul de Marte.

Os cientistas também confirmaram a existência de um quarto lago – cuja presença foi sugerida por uma pesquisa de 2018.

Apesar de a água ser um indicador de possíveis formas de vida, esses lagos marcianos são considerados extremamente salgados, o que pode dificultar a sobrevivência de qualquer organismo.

Além disso, a atmosfera de Marte é muito fina, indicando que a presença de água líquida na superfície do planeta é quase impossível – o mesmo não ocorreria abaixo do solo.

Estudos de longa data

A última descoberta do líquido da vida no Planeta Vermelho se deu por meio do radar Marsis instalado na espaçonave Mars Express, da Agência Espacial Europeia (ESA), lançada em 2003 e que deste então vem orbitando nosso vizinho.

Em 2018, os pesquisadores usaram dados do Marsis para relatar sinais de um lago subterrâneo de 20 km de largura localizado a 1,5 km de profundidade no polo sul de Marte, numa espessa calota polar formada por gelo e poeira.

Essa descoberta foi baseada em 29 observações coletadas pelo Marsis entre 2012 e 2015. Agora, uma equipe que inclui cientistas do estudo de 2018 analisou um conjunto de dados muito maior – 134 perfis de radar coletados entre 2010 e 2019.

Lagos interconectados?

“O lago principal é cercado por corpos menores de água líquida, mas devido às características técnicas do radar e sua distância da superfície marciana, não podemos determinar conclusivamente se eles estão interconectados”, explica a pesquisadora Elena Pettinelli, da Universidade de Roma, uma das autoras do estudo, citada pela emissora britânica BBC.

A equipe usou uma técnica muito comum em investigações com sondas de radar nos lagos subglaciais da Antártica, do Canadá e da Groenlândia, adaptando o método para analisar os dados do Marsis.

Como não há calor suficiente nas profundezas de Marte para derreter o gelo, os cientistas acreditam que a água está em estado líquido por conter altas concentrações de sais dissolvidos.

Como mostra a BBC, experimentos recentes descobriram que a água com magnésio e perclorato de cálcio pode permanecer líquida a temperaturas de -123º C.

Se a vida poderia sobreviver em tais condições, depende de quão salgadas são essas piscinas marcianas. Na Terra, apenas tipos muito específicos de micróbios, conhecidos como halófilos, podem sobreviver em poças de água repletas de sais minerais.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.