Encontrada nova espécie de dinossauro na China

O animal tinha só 1,2 m de comprimento e seu fóssil ficou preservado devido a uma erupção vulcânica há milhões de anos

Fóssil de Changmiania liaoningensis

A nova espécie, chamada Changmiania liaoningensis tinha porte pequeno e devia cavar tocas, segundo especialista [Fotos: Yang Wu/Divulgação]

Paleontólogos chineses encontraram dois fósseis muito bem preservados de uma nova espécie de dinossauro que viveu há 125 milhões de anos.

Os ossos foram descobertos em Lujiatun Beds, nas antigas camadas de solo da formação geológica Yixian, no nordeste da China, segundo informações da emissora americana CNN.

Os cientistas acreditam que os dinossauros ficaram presos por sedimentos de uma erupção vulcânica enquanto descansavam no fundo de suas tocas.

“Esses animais foram rapidamente cobertos por sedimentos finos enquanto ainda estavam vivos ou logo após a morte”, comenta o paleontólogo Pascal Godefroit, do Instituto Real Belga de Ciências Naturais, em entrevista à emissora.

O cientista acredita que os dinossauros sofreram um destino parecido com o da população de Pompeia, na Itália, durante a erupção do vulcão Vesúvio no ano 79.

Impressão artística da nova espécie de dinossauro [Fotos: Yang Wu/Divulgação]

“Sono eterno”

A nova espécie foi batizada de Changmiania liaoningensis, de acordo com a CNN. O termo “changmian” significa “sono eterno” em chinês.

Os arqueólogos deduzem que o ornitópode viveu durante o período Cretáceo e que era um pequeno herbívoro que podia correr muito rápido, com base no comprimento da cauda e na composição das pernas. Devia ter cerca de 1,2 m de comprimento.

“No entanto, certas características do esqueleto sugerem que Changmiania podia cavar tocas, assim como os coelhos fazem hoje. Seu pescoço e antebraços são muito curtos, mas robustos, suas omoplatas são características de vertebrados escavadores e o topo do focinho tem o formato de uma pá”, explica Pascal Godefroit à emissora americana.

A nova descoberta foi publicada no periódico científico Paleontology and Evolutionary Science no início de setembro.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.