Novo anticorpo pode ser a esperança contra o coronavírus

Cientistas americanos criaram um remédio usando um anticorpo microscópico e obtiveram ótimos resultados em cobaias que estavam doentes com covid-19

Cientista da Universidade de Pittsburgha

Com a descoberta do anticorpo, cientistas criaram um medicamento chamado Ab8 que conseguiu reduzir a infecção causada pelo SARS-CoV-2 (Foto: Universoty of Pittsburgh/Divulgação)

Pesquisadores da Escola de Medicina da Universidade de Pittsburgh, nos Estados Unidos, isolaram um anticorpo que pode neutralizar o SARS-CoV-2 (novo coronavírus).

Segundo comunicado divulgado no site da instituição de ensino na última segunda (14/9), a descoberta poderá ser usada como um método terapêutico e profilático viável contra o vírus causador da covid-19.

Ele é 10 vezes menor do que um anticorpo normal e foi usado para criar o remédio chamado Ab8.

Os cientistas relataram no artigo publicado no jornal científico Cell no início de setembro que a nova droga tem sido altamente eficaz na prevenção e tratamento do coronavírus em cobaias.

Segundo eles, o medicamento também não se liga às células humanas, sugerindo que não resultará em efeitos colaterais.

Possibilidade de uso

Como mostra o comunicado, o tamanho microscópico do anticorpo permite que o remédio seja desenvolvido para ser inalado em forma de névoa ou injetado normalmente, em vez da aplicação intravenosa.

“Ab8 não só tem potencial como terapia para covid-19, como pode ser usado para evitar que as pessoas contraiam infecções por SARS-CoV-2”, afirma o pesquisador John Mellors, co-autor do estudo, no comunicado recém-divulgado.

Ele lembra que anticorpos de tamanho maior têm funcionado contra outras doenças infecciosas e têm sido bem tolerados. “O que nos dá esperança de que possa ser um tratamento eficaz para pacientes com covid-19 e para proteção daqueles que nunca tiveram a infecção e não estão imunes”, completa o cientista americano.

Teste bem-sucedidos

Pesquisadores da Universidade do Texas (EUA), que também participam do estudo, testaram a nova droga e descobriram que ela bloqueia a entrada do vírus nas células.

Já cientistas da Universidade da Carolina do Norte, que atuaram na pesquisa, perceberam que o Ab8 diminuía em 10 vezes a quantidade de vírus infecciosos em camundongos, mesmo na dose mais baixa.

“A pandemia covid-19 é um desafio global que a humanidade enfrenta, mas a ciência biomédica e a engenhosidade humana provavelmente irão superá-la. Esperamos que os anticorpos que descobrimos contribuam para esse triunfo”, comenta John Mellors no comunicado da Universidade de Pittsburgh.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.