Apendicite precisa de atendimento de urgência

Um exemplo é o cantor Saulo Poncio, que precisou ser operado às pressas para retirada do apêndice que estava inflamado e prestes a explodir

Saulo Poncio - Instagram

Após uma crise de apendicite, o cantor Saulo Poncio deixa hospital e tranquiliza fãs (Foto: Instagram/saulo/Reprodução)

Segundo o Ministério da Saúde, a apendicite (inflamação do apêndice) afeta cerca de 10% da população brasileira. Uma das vítimas mais recentes é o cantor carioca Saulo Poncio, de 24 anos.

Após sentir fortes dores abdominais na última segunda (14/9), o músico foi levado para o Hospital Vitória, na Barra da Tijuca (RJ), onde passou por uma intervenção cirúrgica de urgência.

Por meio de uma foto publicada no Instagram, Saulo tranquilizou os fãs. “Ontem, no período da tarde, fui internado às pressas com dores abdominais insuportáveis. Dali fui direto pra sala de cirurgia e, quando acordo, recebo a notícia de que meu apêndice estouraria em poucas horas, se eu não tivesse operado […] Minha esposa @gabibrandt e toda minha família, obrigado por estarem ao meu lado e cuidarem de mim! E obrigado pelas mensagens desejando melhoras, já estou bem e indo pra casa”, diz o artista em post divulgado nesta terça (15/9).

Doença pode afetar qualquer pessoa

De acordo com informações divulgadas pelo site do Hospital Israelita Albert Einstein, de São Paulo, a apendicite é uma causas mais comuns de cirurgias de urgência em todo o mundo, perdendo apenas para traumatismos.

“Qualquer pessoa corre o risco de ter uma inflamação do apêndice [pequena bolsa do intestino grosso], o que, sem o tratamento adequado, pode levar a graves complicações. O problema, no entanto, costuma acometer mais pacientes entre a segunda e a terceira década de vida, com maior incidência entre 10 e 19 anos”, diz a instituição médica.

O apêndice fica localizado no início do intestino grosso e não possui função conhecida (Foto: Shutterstock)

Os sintomas da inflamação do apêndice podem variar, sendo os mais comuns:

  • Dor do lado inferior direito do abdome
  • Náuseas e vômitos
  • Perda de apetite

Como mostra o Albert Einstein, podem ocorrer ainda dor na parte alta do estômago ou ao redor do umbigo, flatulência, indigestão, diarreia ou constipação e mal-estar geral, que podem ser confundidos com um problema alimentar.

“A febre pode aparecer na evolução da doença, porém, na maioria das vezes, não está presente no início da manifestação dos sintomas”, informa o hospital.

Atendimento de urgência

Apesar de os sintomas da apendicite serem parecidos com outros problemas gastrointestinais, assim que eles surgirem, é preciso procurar atendimento médico.

A única forma de tratamento é a remoção do órgão infeccionado, que deve ser realizada o mais rápido possível para evitar complicações, como seria o caso de Saulo Poncio, cujo apêndice estava prestes a explodir.

“Hoje, até mesmo casos mais complicados podem ser resolvidos com cirurgias minimamente invasivas, como a laparoscopia. Três pequenos orifícios, com tamanhos não superiores a 10 mm, possibilitam a introdução do laparoscópio para extração do apêndice, com rápida recuperação”, esclarece o Albert Einstein.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.