Louis Vuitton lança protetor facial de luxo contra covid-19

O acessório da grife francesa, chamado LV Shield, é uma espécie de viseira de acrílico e será colocado à venda nas lojas da marca no final de outubro

Protetor Facial da Louis Vuittona

O que você achou do protetor facial de luxo da Louis Vuitton? (Foto: Louis Vuitton/Divulgação)

O uso de máscaras de proteção facial é essencial durante a pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2). Aproveitando dessa necessidade criada pela covid-19, a grife francesa de luxo Louis Vuitton (LV) acaba de anunciar seu protetor facial.

Existem inúmeros modelos de máscaras de tecido no mercado, mas um estudo divulgado em agosto pela Universidade de Duke, nos Estados Unidos, afirma que só o modelo N95 sem válvula respiratória é indicada para proteger o usuário e quem está ao lado dele.

Ainda assim, a marca francesa criada em 1854, famosa pelas malas e bolsas, decidiu criar uma viseira protetora, chamada LV Shield, que estará à venda no dia 30 de outubro, segundo matéria publicada pelo site da revista Vogue.

A grife de alta-costura não divulgou o valor do acessório de luxo que traz uma tira elástica com as cores e as iniciais da Louis Vuitton, que se ajusta ao redor da cabeça e possui detalhes dourados.

O escudo de acrílico também é contornado por uma fita com o logotipo da marca francesa e é sensível à luz: o visor muda escurece dependendo da intensidade da luz solar. Outra curiosidade citada pela Vogue é que a viseira pode ser virada para cima, servido de aba de boné.

A Louis Vuitton diz em seu comunicado enviado à imprensa que o LV Shield é “um acessório de cabeça atraente, estiloso e protetivo”.

Apesar de o preço não ter sido citado pela grife, a revista especializada em moda mostra que um chapéu comum da LV custa US$ 700 (cerca de R$ 3.700) e um óculos de sol em torno de US$ 800 (ou quase R$ 4.200).

Ainda que o lançamento de um Equipamento de Proteção Individual (EPI) de luxo contrarie a ideia de que esse tipo de acessório deveria ser acessível, ainda mais durante a pandemia causada pelo coronavírus, a Vogue lembra que no início do ano a grife reaproveitou muitos de seus ateliês da França para produzir máscaras faciais não cirúrgicas e aventais hospitalares para profissionais de saúde, doando centenas de milhares desses itens.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.