Vitamina C pode reduzir efeitos da sarcopenia, diz estudo

O consumo regular de ácido ascórbico foi associado à redução da perda de massa músculo esquelética em pessoas acima de 50 anos

Laranjas - Pixabay

Frutas, especialmente cítricas, e vegetais folhosos são ricos em vitamina C e podem ajudar na saúde dos músculos (Foto: Pixabay)

A vitamina C (ácido ascórbico) pode ajudar a melhorar os músculos em adultos, de acordo com uma pesquisa realizada pela Universidade de East Anglia, no Reino Unido.

Publicado no final agosto no periódico científico Journal of Nutrition, o estudo mostra que as pessoas acima de 50 anos que consomem muitas frutas e vegetais ricos em vitamina C têm melhor massa muscular esquelética.

Isso é importante porque à medida que envelhecemos, ocorre a chamada sarcopenia, condição caracterizada pela perda de massa e função músculo esquelética, levando à fragilidade e à redução da qualidade de vida.

“Adultos acima de 50 anos perdem até 1% de massa muscular esquelética a cada ano, e acredita-se que essa perda afete mais de 50 milhões de pessoas em todo o mundo. É um problema sério porque pode levar à deficiência física, ao diabetes tipo 2 e até à morte”, comenta a pesquisadora Ailsa Welch, uma das autoras do estudo, citada pelo site The Star.

Avaliando a vitamina C

De acordo com a especialista, o ácido ascórbico ajuda as células e tecidos musculares dos radicais livres. “Sem isso, os radicais livres podem contribuir para a destruição dos músculos, acelerando assim o declínio relacionado à idade”, completa Welch.

Ela observa, no entanto, que poucos estudos até agora investigaram a importância da ingestão de vitamina C em populações mais velhas.

A equipe de cientistas avaliou dados de mais de 13 mil pessoas com idades entre 42 e 82 anos, que participam do estudo Investigação Prospectiva Europeia sobre Câncer e Nutrição (European Prospective Investigation on Cancer and Nutrition) realizado na década de 1990 na cidade britânica de Norfolk.

Como foi o estudo

A massa músculo esquelética dos voluntários foi calculada junto à ingestão de vitamina C, que devia ser anotada num diário alimentar de sete dias.

A quantidade de ácido ascórbico no sangue também foi examinada.

“Avaliamos uma grande amostra de residentes mais velhos de Norfolk e descobrimos que as pessoas com as maiores quantidades de vitamina C na dieta ou no sangue tinham a maior estimativa de massa músculo esquelética”, afirma o pesquisador Richard Hayhoe, que fez parte da pesquisa, também citado pelo The Star.

Segundo o cientista, quase 60% dos homens e 50% das mulheres participantes não estavam consumindo tanta vitamina C quanto deveriam – levando em conta a dose diárias recomendada pela Agência Europeia de Segurança Alimentar.

“Não estamos falando que as pessoas precisam de doses grandes. Comer uma fruta cítrica, como laranja, todos os dias e acrescentar vegetais à refeição é suficiente para a maioria das pessoas”, diz Hayhoe.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.