Senna, Schumacher ou Hamilton? Qual o piloto mais rápido da história da Formula 1?

Inteligência artificial da Amazon avaliou dados das provas de classificação da F1 desde 1983 e criou um ranking dos 20 pilotos mais rápidos da principal categoria do automobilismo

Montagem de pilotos da F1

Graças a um algoritmo criado pela Amazon Web Service, foi possível descobrir qual o piloto mais rápido da história da Formula 1 (Foto: Formula1.com/Reprodução)

A Formula 1 está celebrando 70 anos de existência e os fãs sempre costumam fazer a mesma pergunta: qual o piloto mais rápido de todos os tempos? Michael Schumacher, Lewis Hamilton ou Ayrton Senna?

Utilizando um algoritmo criado pela Amazon Web Services (AWS), que é parceira da empresa que administra a principal categoria do automobilismo, foi possível avaliar os pilotos mais rápidos em uma única volta, usando dados coletados desde 1983.

Após um ano de análises, a inteligência artificial da AWS, chamada Fastest Driver, comparou o desempenho de qualificação dos motoristas ao longo do tempo com seus companheiros de equipe para estabelecer uma classificação final – um piloto de um carro inferior tem tantas chances de aparecer bem no ranking quanto um “de ponta”.

O algoritmo foi capaz de eliminar situações adversas como colisões, falhas no carro e mudanças nas condições climáticas durante a qualificação.

“Com o aprendizado de máquina, há uma série de oportunidades para aplicar a tecnologia para responder a problemas complexos e, neste caso, esperamos ajudar a resolver disputas antigas entre os fãs usando dados para tomar as decisões”, afirma a cientista Priya Ponnapalli, gerente do Amazon ML Solutions Lab, em entrevista para o site oficial da Formula 1.

Como funciona

Para descobrir quem é o piloto mais rápido da F1 de todos os tempos, a inteligência artificial da AWS vasculhou as planilhas de cada sessão de qualificação desde 1983, banindo as situações adversas e normalizando os dados para criar uma rede complexa de desempenho dos pilotos em relação aos seus companheiros de equipe.

De acordo com a AWS, algumas regras tiveram que ser seguidas para criar dados significativos. Os companheiros de equipe deveriam ter completado pelo menos cinco sessões de qualificação antes de serem comparados. A idade também foi levada em consideração e também se um piloto estava voltando ao esporte após três ou mais temporadas fora.

Ayrton Senna poderia ter conquistado muito mais poles se não tivesse morrido no acidente de Ímola em 1994 (Foto: TV Globo/Reprodução)

A F1 faz questão de lembrar que para chegar ao ranking dos 20 pilotos mais rápidos, foi levada em conta a velocidade bruta e não o gerenciamento de pneus, de corrida ou algo semelhante.

“A velocidade de qualificação é algo sobre o qual podemos ter certeza. Se você pensar no ritmo de corrida, há muitas nuances e, às vezes, é difícil avaliá-la. A qualificação é uma volta única, e o melhor piloto vai acabar com a mais rápida”, comenta o engenheiro britânico Rob Smedley, diretor de Dados da F1, também citado pelo site da categoria de automobilismo.

Brasileiro no topo

Desde 1983 o rei indiscutível das qualificações da Formual 1 é o saudoso piloto brasileiro Ayrton Senna. Ele conquistou 65 pole positions (primeiros lugares) em sua carreira, que terminou tragicamente em 1994.

Embora o número de poles de Senna tenha sido ultrapassado pelo alemão Michael Schumacher e pelo inglês Lewis Hamilton – segundo e terceiro colocados, respectivamente, no ranking da AWS –, os dois sempre fizeram questão de dizer publicamente que o brasileiro teria ficado em primeiro muito mais vezes se não tivesse morrido no Grande Prêmio de San Marino.

Confira o ranking dos 20 pilotos mais rápidos da história da Formula 1:

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.