Quarentena para quem teve Covid-19 deveria ser de 36 dias

Esse prazo bem maior do que os 14 dias previstos pela OMS é fruto de um estudo realizado com pacientes italianos que tiveram o novo coronavírus

Coronavírus - Pexels

Segundo os cientistas italianos, após o desaparecimento dos sintomas, é preciso realizar um novo teste para Covid-19 após 36 dias (Foto: Pexels)

Um estudo publicado no dia 2 de setembro no periódico científico BMJ Open relata que o novo coronavírus (SARS-CoV-2) “demora cerca de 30 dias para sumir do corpo do hospedeiro após a primeira detecção e 36 dias após os sintomas sumirem”.

Os cientistas lembram que, apesar dessa “quarentena” extra, não é possível dizer até que ponto a pessoa que estava com covid-19 pode transmitir o vírus durante esse período de convalescença.

“É relativamente alta a taxa de falsos negativos obtidos nos testes realizados durante as primeiras fases de recuperação do paciente”, afirmam os pesquisadores do Istituto di Ricovero e Cura a Carattere Scientifico de Reggio Emilia, na Itália, no artigo recém-publicado.

Segundo ele, é importante que os pacientes recuperados do coronavírus realizem novos testes após quatro semanas do fim dos sintomas, para minimizar o risco de propagação da doença.

A pesquisa também sugere a mudança no prazo de quarentena de 14 dias, recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para pessoas com ou sem sintomas.

Metodologia do estudo

Para chegar a essas conclusões, os cientistas avaliaram 4.480 moradores de Reggio Emilia, uma das regiões mais afetadas pela covid-19 de Itália, entre 26 de fevereiro e 22 de abril.

Como mostra a análise, 428 pessoas morreram, 1.259 foram consideradas livres do vírus durante o prazo de realização do estudo.

Um segundo teste foi feito em 1.162 pacientes nos 15 dias após o primeiro diagnóstico positivo, seguido de outro após 14 dias e um terceiro nove dias depois.

A pessoa foi dada como livre do coronavírus 31 dias após o primeiro teste que deu positivo, informam os pesquisadores italianos.

Risco de falso negativo

A pesquisa italiana demonstrou que alguns resultados negativos nos primeiros testes eram falsos, pois passaram a indicar a presença do SARS-CoV-2 em exames posteriores – média de um falso negativo a cada cinco resultados.

De acordo com o artigo publicado no BMJ Open, realizar um teste 14 dias após a primeira detecção leva “na maioria dos casos a obter o mesmo resultado” e pode gerar alta taxa de falsos negativos até três semanas depois.

“O período de quarentena deveria ser estendido para 30 dias após os primeiros sintomas, e os pacientes precisam ser submetidos no mínimo a mais um teste antes do fim do isolamento”, alertam os pesquisadores.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.