Terremotos são comuns no Brasil?

Abalos sísmicos registrados na Bahia deixaram a população em alerta para o risco de um tremor de terra mais forte. Entenda se isso é possível em nosso país

Sismógrafo registrando terremoto

Terremotos mais fracos como os registrados na Bahia nos últimos dias não são raros no Brasil, segundo especialistas da USP (Foto: 123RF)

Depois do terremoto de magnitude 4.2 (escala Richter) registrado em Amargosa, na região do Recôncavo Baiano, no domingo, dia 30 de agosto, a terra voltou a tremer na Bahia na madrugada do dia 31.

O laboratório de sismologia da Universidade federal do Rio Grande do Norte (UFRN) registrou o tremor de magnitude 3.5 no Vale de Jiquiriçá, inclusive na cidade de Amargosa.

Em entrevista à Agência Brasil, Gabriela Andrade, prefeita da cidade que tem cerca de 38 mil habitantes, informa que não há registro de feridos ou desalojados, mas os terremotos deixaram a população com medo.

“Está todo mundo muito assustado. É difícil tranquilizar a todos, já que nem os especialistas sabem se isso vai continuar acontecendo”, afirma a prefeita à agência de notícias.

O Centro de Sismologia da USP registrou sete tremores de terra no Vale de Jiquiriçá, na Bahia, no dia 30 de agosto (Foto: Facebook/Centro de Sismologia – USP/Reprodução)

Tremor de terra é comum no Brasil?

Segundo o Centro de Sismologia da Universidade de São Paulo (USP), em publicação feita no Facebook no dia 30 de agosto, entre 2018 e 2019 foram identificados nove terremotos no Vale de Jiquiriçá, na Bahia.

“Não é possível prever tremores de terra, nem tampouco saber como eles evoluirão. Já registramos algumas réplicas e pode ser que elas continuem, normalmente são sismos de magnitudes menores”, esclarece a instituição.

De acordo com os especialistas da USP, como o Brasil está no meio de uma placa tectônica, a ocorrência de terremotos fortes ou mesmo catastróficos são extremamente raros. Ao contrário do Chile, do Equador e da Califórnia, nos Estados Unidos, por exemplo, que estão localizados no encontro de duas placas tectônicas – o movimento delas gera os abalos sísmicos.

“As forças geológicas que movimentam a Placa da América do Sul causam grandes pressões em seu interior. Essas pressões geológicas, agindo continuamente na crosta terrestre, são uma das principais causas dos sismos no Brasil”, afirma o Centro de Sismologia no Facebook.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.