Outro asteroide passará “perto” da Terra na terça, dia 1º

O 2011 ES4 tem entre 22 e 49 m e chegará a uma distância de 72 mil km de nosso planeta. Ele é considerado “potencialmente perigoso” pela Nasa

Asteroide - Pexels

Amanhã, dia 1º de setembro, o asteroide 2011 ES4 passará a uma distância cinco vezes menor do que entre a Terra e a Lua (Foto: Pexels)

Na próxima terça, dia 1º de setembro, um asteroide com quase o tamanho de uma piscina olímpica passará “perto” da Terra, a uma distância menor do que a da Lua – que é de 384 mil km.

Só que ele não é o objeto a passar mais perto do nosso planeta este ano.

No dia 16 de agosto, o asteroide 2020 QG, do tamanho de um SUV, “raspou” a Terra ao passar a 2.950 km do oceano Índico.

Considerado “potencialmente perigoso”

Chamado de 2011 ES4, o corpo celeste foi descoberto em 2011 pelo observatório Mount Lemmon, em Tucson, nos Estados Unidos. Ele é classificado pela Administração Nacional da Aeronáutica e Espaço (Nasa) como do tipo Apollo, ou seja, objeto próximo à Terra (Near-Earth Object) “potencialmente perigoso”.

Porém, na terça (1), o asteroide, que tem entre 22 e 49 m, passará a cerca de 72 mil km de distância do nosso planeta, segundo a Nasa divulgou em sua conta oficial no Twitter.

“O 2011 ES4 atingirá a Terra? Não! A aproximação do ES4 2011 é considerada “pero” na escala astronômica, mas não representa perigo real de impacto para a Terra”, diz a Nasa em tweet publicado no dia 28 de agosto.

Visitante recorrente

A última vez que o asteroide passou por nossa “vizinhança” foi em março de 2011, ano de sua descoberta. Ele se tornou visível a olho nu por um período de quatro dias.

Desta vez, ele deverá estar mais perto e ficar visível por ainda mais tempo, mesmo enquanto passa pela Terra a uma velocidade de mais de 8 km/s (ou 28,8 mil km/h).

Curiosamente, segundo os astrônomos da Nasa, o 2011 ES4 será acompanhado por um asteroide menor conhecido como 2020 QG5, que não era visto desde 2004.

No entanto, seu “companheiro” de viagem estará consideravelmente mais longe, a cerca de 2,9 milhões de km da Terra.

Vale dizer que um objeto espacial é considerado pela agência espacial americana como “próximo à Terra” se estiver dentro de um alcance de cerca de 50 milhões de km.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.