Qual é a quantidade ideal de carne vermelha na refeição?

Consumo excessivo de carne, especialmente processada, é associado ao maior risco de câncer e até de morte, alerta a Organização Mundial de Saúde

Pedaço de bife

De acordo com a OMS, comer 50 g diárias de carne processada aumenta em 18% o risco de câncer colorretal (Foto: Pixabay)

Todo mundo sabe que carne é uma boa fonte de proteínas, vitaminas e minerais. Ma qual a quantidade diária recomendada desse alimento?

Em 2015, um grupo de trabalho da Organização Mundial da Saúde (OMS) avaliou mais de 800 estudos realizados com diferentes dietas em todo o mundo. Uma das conclusões é de que 50 g diárias de carne processada aumentam o risco de câncer colorretal em 18%.

Fazer escolhas mais saudáveis pode ajudar a comer carne como parte de uma dieta saudável e equilibrada. Mas algumas proteínas são ricas em gordura saturada, o que pode elevar os níveis de colesterol ruim (LDL) no sangue.

Uma dieta balanceada pode incluir proteína de carne, bem como de fontes não animais, como feijão e leguminosas.

Afinal, a carne vermelha é uma das principais fontes de vitamina B12 e de ferro.

Risco de doenças

De acordo com o Serviço Nacional de Saúde (National Health Service ou NHS) do Reino Unido, comer 3,5 vezes a porção recomendada (85 g) de carne por semana está associado a um maior risco de morte. Consumir mais do que isso pode piorar a situação.

“Considere que uma porção padrão equivale a cerca de 85 g. Comer um filé de churrascaria, que normalmente pesa até 350 g, pode representar significar o consumo de 3,5 porções em uma única refeição”, alerta a entidade médica britânica em seu site oficial.

O problema é ainda maior em relação às carnes processadas, ou que foram conservadas por defumação, cura, salga ou adição de conservantes. Isso inclui salsichas, bacon, presunto, salame e patês.

Para os amantes de bacon, comer apenas quatro fatias por semana é o suficiente para aumentar o risco de morte, segundo a NHS.

Menos carne vermelha e mais alimentos saudáveis

Infelizmente, muitas pessoas não conseguem comer o suficiente de alimentos benéficos e abrir mão de carne.

Um levantamento feito pela Sociedade Nacional de Agricultura em 2019 revela que apenas 34,60% da população brasileira consome frutas e vegetais pelo menos cinco dias por semana.

Vale lembrar que a redução no consumo de carne ajuda também o meio-ambiente, já que a criação de gado é responsável por 14% das emissões de gases de efeito estufa.

Porção saudável de proteína

Se atualmente você come mais de 90 g (peso após cozimento) de carne vermelha e/ou processada por dia, o Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido aconselha a redução para 70 g.

Três fatias finas (como a do pão de forma) de carne de boi, cordeiro ou porco representam 90 g de proteína.

A dica é substituir parte do consumo de carne por leguminosas, como lentilha e feijão.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.