Mel ajuda a tratar tosse, nariz entupido e dor de garganta, diz estudo

Pesquisadores do Reino Unido descobriram que o mel pode ser um substituto de remédios, especialmente antibióticos, no tratamento de infecções do trato respiratório superior

Mel caindo na colher

Mel pode ajudar a tratar problemas do trato respiratório superior, como tosse e dor de garganta, segundo cientistas britânicos (Foto: Pexels)

O mel é melhor do que os remédios para tosse, congestão nasal e dor de garganta, segundo pesquisadores britânicos.

A substância produzida pelas abelhas é barata, facilmente disponível e praticamente não tem efeitos colaterais.

De acordo com cientistas da Universidade de Oxford, no Reino Unido, os médicos podem recomendar o consumo de mel como aos antibióticos, que muitas vezes são prescritos para essas doenças, embora não sejam necessariamente eficazes.

Sabemos que o mel é usado em crianças – exceto bebês, que devem evitar o produto pelo risco de botulismo – há muito tempo como remédio caseiro para tratar tosses e resfriados.

Mas a evidência de sua eficácia para uma variedade de sintomas das infecções do trato respiratório superior em adultos nunca foi avaliada.

Análise científica do mel

O estudo britânico, que foi publicado no dia 19 de agosto na revista científica BMJ Evidence Based Medicine, analisou pesquisas que comparavam mel a tratamentos usuais como anti-histamínicos, expectorantes, antitussígenos e analgésicos.

Foram usados 14 ensaios clínicos que envolviam 1.761 participantes de várias idades.

Segundo os cientistas, a análise dos dados indicou que o mel foi mais eficaz do que o tratamento usual para melhorar os sintomas, especialmente a frequência e a gravidade da tosse.

Num dos ensaios clínicos, os sintomas dos voluntários chegaram a durar de um a dois dias a menos quando tratados com mel.

São necessárias mais análises

Apesar da boa notícia, os pesquisadores da Universidade de Oxford lembram que o mel é uma substância complexa e não um produto uniforme, como um medicamento.

Eles também afirmam que só dois dos ensaios clínicos envolveram placebo e que mais estudos precisam ser feitos antes de se chegar a conclusões definitivas.

“As infecções do trato respiratório superior são o motivo mais frequente para a prescrição de antibióticos. Como a maioria dessas infecções é de origem viral, a prescrição de antibióticos é ineficaz e inadequada”, alertam os cientistas no artigo recém-publicado.

Alternativa saudável

Os pesquisadores britânicos sugerem que o mel seja usado como alternativa quando os médicos desejarem prescrever algo que trate com segurança os sintomas dos problemas do trato respiratório superior.

“O mel é um remédio popular frequentemente usado e bem conhecido pelos pacientes. Também é barato, de fácil acesso e tem danos limitados. Recomendamos mel como uma alternativa aos antibióticos no tratamento das infecções do trato respiratório superior”, diz trecho do artigo.

Os cientistas completam, afirmando que o mel é mais eficaz e menos prejudicial do que as alternativas de tratamento usuais e evita o surgimento de superbactérias (resistentes a antibióticos).

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.