Estudo associa doenças na gengiva a câncer colorretal

Problemas periodontais e perda de dente estariam ligados ao aparecimento de pólipos e adenomas no intestino, o que é risco para surgimento do tumor no cólon

Boca exibindo os dentes

Cuidar dos dentes e da gengiva pode ser um fator de proteção para câncer do cólon, segundo estudo americano (Foto: Pexels)

Problemas na gengiva e perdas de dentes podem aumentar o risco de câncer colorretal, segundo estudo realizado pela Escola de Saúde Pública T. H. Chan da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos.

A pesquisa, publicada no final de julho no periódico científico Cancer Prevention Research, utilizou dados de 42.486 homens e mulheres que participaram de duas grandes pesquisas de saúde.

Nas últimas décadas, os participantes relataram periodicamente informações sobre saúde e dieta, incluindo relatos de gengivite e perda dentária.

Os cientistas revisaram relatórios de colonoscopias, documentando a incidência de dois tipos de lesões intestinais que são precursores do câncer de cólon: pólipos serrilhados e adenomas convencionais. A remoção dessas lesões reduz substancialmente o risco de câncer colorretal.

Evidências do estudo

Em comparação com pessoas sem histórico de doença periodontal, aqueles que tinham problemas na gengiva apresentaram um risco 17% maior de ter pólipo serrilhado e 11% maior de adenoma convencional.

O estudo americano também descobriu que a perda de quatro ou mais dentes estava associada a um risco 20% maior de pólipo serrilhado.

Embora o tabagismo seja uma causa conhecida tanto de doença periodontal quanto de câncer colorretal, os autores observaram que mesmo não fumantes com perda dentária apresentavam taxas mais altas de pólipos serrilhados e adenomas convencionais.

“O fato de ter sido diagnosticado com doença periodontal coloca a pessoa em risco de desenvolver lesões precursoras de câncer colorretal, algumas das quais podem levar ao surgimento do tumor”, afirma Mingyang Song, um dos principais autores da pesquisa, citado em matéria do site Onco’Zine.

Ele lembra que a realização de colonoscopia de rastreamento regular e modificações no estilo de vida são importantes para prevenir esses problemas.

Boa saúde bucal

Song afirma ao site que os resultados do estudo, combinados com pesquisas anteriores ligando a doença periodontal a alguns tipos de câncer, reforçam a importância de uma boa saúde bucal para garantir um microbioma oral saudável.

“Precisamos de mais estudos para determinar como o microbioma oral e o intestinal podem interagir para influenciar o risco de câncer”, comenta o pesquisador da Universidade de Harvard.

Apesar dos dados preocupantes, os cientistas alertam que o estudo possui limitações, incluindo o autorrelato de perda dentária e o pequeno tamanho da amostra para pólipos serrilhados. Além disso, a maioria dos entrevistados era branca. Portanto, os resultados precisam ser confirmados em populações mais diversificadas.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.