Beber água com lítio ajuda a prevenir suicídio, diz estudo

Cientistas britânicos confirmam a relação entre o metal alcalino e o combate a problemas neurológicos, incluindo depressão e distúrbios de humor

Torneira ligada

Segundo o estudo britânico, a presença de lítio na água potável das cidades pode ajudar a prevenir até suicídio (Foto: Pixabay)

A presença de lítio (metal alcalino) na água potável fornecida pelo sistema de abastecimento público pode ajudar a prevenir suicídio, de acordo com estudo realizado pelo Instituto de Psiquiatria, Psicologia e Neurociência do King’s College de Londres, no Reino Unido.

Publicada no periódico científico The British Journal of Psychiatry no final de julho, a pesquisa envolveu a revisão sistemática e metanálise de estudos anteriores sobre o assunto, realizados na Áustria, Grécia, Itália, Lituânia, Reino Unido, Japão e Estados Unidos.

Todos os trabalhos avaliados correlacionavam os níveis de lítio que ocorrem naturalmente nas amostras de água potável às taxas de suicídio em 1.286 regiões desses países.

“Percebemos que níveis mais altos de lítio na água potável possam exercer um efeito anti-suicida e ter o potencial de melhorar a saúde mental da comunidade. Em todo o mundo, mais de 800 mil pessoas morrem por suicídio todos os anos, sendo a principal causa de morte entre jovens de 15 a 24 anos”, afirma o pesquisador Anjum Memon, um dos autores da pesquisa, em entrevista para o site da King’s College.

Metal com efeitos neurais

O lítio, às vezes chamado de “íon mágico”, já é amplamente usado como medicamento para tratamento e prevenção de problemas neurológicos, incluindo depressão e transtorno do humor.
Suas propriedades ajudam a reduzir a impulsividade, a agressão, o comportamento violento e o abuso crônico de substâncias.

Esse metal alcalino muito usado em baterias, pode ser consumido em vegetais, grãos, especiarias e na água potável. Está presente em praticamente todas as rochas, por isso acaba sendo levado para o sistema de abastecimento público.

Os benefícios para a saúde e os poderes curativos do lítio natural na água são conhecidos há séculos. Curiosamente, o refrigerante 7UP, quando surgiu em 1929, continha partículas de lítio.

Estudos recentes também ligaram o metal à redução da incidência do Mal de Alzheimer e combater o risco de demência.

Água potável tem baixos níveis de lítio

De acordo com o pesquisador Allan Young, co-autor do estudo publicado no British Journal of Psychiatry, há uma relação importante entre os níveis mais altos de lítio na água potável e as menores taxas de suicídio na comunidade.

“Os níveis de lítio na água potável são muito inferiores aos recomendados quando o metal é usado como medicamento, embora a duração da exposição possa ser maior. Nossas descobertas também são consistentes com as constatações em ensaios clínicos de que o lítio reduz o suicídio e comportamentos relacionados em pessoas com transtorno do humor”, completa o professor da King’s College, em entrevista ao site da instituição.

Os cientistas britânicos salientam que ainda é preciso realizar ensaios clínicos randomizados de suplementação de lítio no abastecimento de água em comunidades com alta prevalência de problemas de saúde mental, comportamento criminoso violento, abuso crônico de substâncias e risco de suicídio.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.