Nadar ajuda até a reduzir o estresse

Além de ajudar a tonificar o corpo, a natação propicia outros benefícios para nossa saúde. Confira!

Criança nadando

A natação é uma atividade física que proporciona muitos benefícios para o corpo (Foto: Pixabay)

Além de divertida, a natação é um exercício aeróbico que pode reduzir o risco de doenças crônicas, como pressão alta e diabetes.

O ato de nadar ajuda até a melhorar os níveis de estresse do organismo – o que é importante em tempos de quarentena causada pelo novo coronavírus.

A boa notícia é que essa atividade é considerada de baixo impacto. O corpo humano flutua na água, o que reduz o peso corporal em cerca de 90% quando se está submerso até a altura do peito.

Portanto, quem sofre de problemas nas articulações, como as temidas artrites, podem desfrutar de mais liberdade de movimento na água. Além disso, o esforço (pressão hidrostática) realizado pode ajudar a reduzir a sensibilidade à dor.

Confira abaixo alguns benefícios da natação, segundo o fisiologista americano Brian Wright, professor da Universidade DePauw, de Indiana (EUA), em entrevista para o site Insider.

Natação exercita o corpo inteiro

Ao nadar você usa partes importantes das regiões superior e inferior do corpo, conforme o especialista.

Cada tipo de nado funciona melhor para certos grupos musculares, e misturá-los proporcionará um treino completo:

  • Estilo livre ou crawl: favorece os músculos do ombro, do peito e partes das coxas e costas
  • Nado costas: trabalha os músculos posteriores do ombro e a parte superior das costas, o que promove uma boa postura
  • Nado peito: exercita os bíceps, tríceps, peitoral, lats (grande dorsal), deltoides e a parte interna das coxas

Nadar queima muitas calorias

“Mover todos esses músculos requer muita energia e, para isso, o corpo queima grande quantidade de calorias. Quanto mais vigoroso o treino, mais calorias você queima”, afirma Brian Wright ao Insider.

Nadar sem pressa, por exemplo, pode queimar cerca de 220 calorias a cada 30 minutos de atividade para uma pessoa que pesa 70 kg.

Já a prática da natação com braçadas mais vigorosas, como o nado borboleta, podem ajudar na queima de mais de 400 calorias a cada 30 minutos.

No entanto, o fisiologista lembra que o número de calorias queimadas também depende da habilidade do nadador – um profissional precisa de poucas braçadas para percorrer determinada distância.

Misturar os diferentes tipos de nado favorece o treinamento muscular (Foto: Pexels)

Natação melhora a saúde cardiovascular

A Associação Americana do Coração sugere a prática de duas horas e meia por semana de atividade física de intensidade moderada para se ter uma saúde cardiovascular ideal.

A natação pode proporcionar um treino tão bom quanto ciclismo, caminhada ou aula de dança, por exemplo.

“Outro fator é a pressão hidrostática, que é a força que um fluido exerce sobre um objeto. Essa pressão da água no corpo empurra o sangue para o coração e melhora a circulação. Quanto mais fundo você está submerso, maior a pressão”, esclarece o professor da Universidade DePauw.

O ato de nadar alivia o estresse

Muitos médicos costumam recomendar a prática regular de atividade física, incluindo natação, como apoio na redução dos níveis de estresse e na melhora do humor.

De acordo com Wright, quando praticados com a técnica correta, os movimentos de natação envolvem respiração rítmica que pode ativar o sistema nervoso parassimpático – parte do cérebro responsável pelo descanso e relaxamento.

Natação é uma boa opção para quem tem asma

O nado costuma ser uma atividade muito indicada para pessoas que sofrem de asma, uma doença respiratória crônica que causa redução na capacidade dos pulmões.

“A natação promove um esforço constante e moderado em comparação com exercícios que envolvem respiração pesada e repetitiva, como corrida de longa distância. Piscinas cobertas são ambientes quentes e úmidos com menos alérgenos [partículas que causam alergia]”, explica o fisiologista americano ao Insider.

As pessoas são menos propensas a ter ataques de asma induzida por exercício enquanto nadam do que em atividades ao ar livre, como andar de bicicleta ou fazer caminhadas, completa Brian Wright.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.