Coronavírus causador da Covid-19 existe há décadas, segundo pesquisa

O Sars-CoV-2 seria a evolução de um vírus que infecta uma espécie de morcego

Morcego na árvore

Segundo estudo britânico, o novo coronavírus existe na natureza há décadas e evoluiu de um vírus de morcego (Foto: Pexels)

Pesquisa sugere que as cepas de coronavírus capazes de infectar humanos podem estar circulando em morcegos há décadas sem serem detectados.

Um dos ancestrais mais próximos do vírus Sars-CoV-2, causador da Covid-19, surgiu em morcegos-ferradura entre 40 e 70 anos atrás.

Isso mostra que as mensagens que circulam nas redes sociais, especialmente no WhastApp, afirmando que o novo coronavírus foi modificado em laboratório não passam de fake news.

Parentesco com vírus do morcego

“O Sars-CoV-2 é geneticamente parecido com os vírus de morcego, com várias décadas de diferença. Isso sugere que esses vírus com potencial para infectar humanos já existem há algum tempo”, afirma o pesquisador David Robertson, da Universidade de Glasgow, no Reino Unido, um dos responsáveis pelo estudo que foi publicado na revista científica Nature Microbiology no dia 28 de julho, em entrevista para o site da emissora estatal britânica BBC.

Ele lembra que é preciso entender onde e como o micro-organismo presente no morcego-ferradura passou a se alojar na população humana.

O trabalho aponta para a necessidade de maior vigilância das novas doenças que afetam seres humanos e de realizar mais amostragens em populações de morcegos selvagens, se quisermos evitar futuras pandemias, segundo o cientista.

“Se esses vírus existem há décadas, isso significa que eles tiveram muitas oportunidades de encontrar novas espécies hospedeiras”, completa Robertson à BBC.

Genéticas parecidas

Na pesquisa recém-publicada, os cientistas britânicos compararam a composição genética do Sars-CoV-2 com a de um parente próximo que vive em morcegos, um vírus conhecido como RaTG13.

Eles descobriram que os dois compartilham um ancestral comum, mas seguiram seus próprios caminhos evolutivos várias décadas atrás.

Os pesquisadores lembram que os pangolins podem ter desempenhado um papel na evolução do Sars-CoV-2, mas a nova descoberta sugere que esse não é o caso.

Em vez disso, os pangolins podem ter apanhado o vírus mais recentemente devido ao contato com outros animais selvagens.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments